Introdução aos Ciclídeos do lago Vitória



Longe da popularidade dos Ciclídeos do Malawi ou tanganika, é muito difícil de se encontrar em lojas especializadas, mas são muito disputados no mercado internacional.
Apesar de lembrar muito os mbunas do lago Malawi,as cores não são tão marcantes , as fêmeas são geralmente pardas e os machos são pintados com uma gama de cores incríveis.
No mercado internacional são conhecidos por mbipi.
O lago
O lago Vitória não é uma lago profundo e seus habitats são bem variados,eles variam de áreas rochosas onde a vegetação é quase inexistente , a lugares infestados por plantas aquáticas e ervas daninhas em sua margem.
E até vastos pântanos em suas margens,no verão as águas do lago são escuras por causa da enorme quantidade de fitoplancton na água.



Moluscos do Vitória
Porem o lago Vitória é mais conhecido pela sua degradação, a introdução da perca do Nilo,o desmatamento e a contaminação por pesticidas, levaram a extinção de dezenas de espécies, muitas delas ainda por ainda serem descritas..
A água turva e com baixo oxigênio se tornou tão turva que dificultou a distinção visual entre as espécies criando diversos híbridos e distanciando em muito das espécies originais.
Para piorar algumas regiões são infestadas de aguapés (Eichornia crassipes),isso sufoca mais ainda as águas já quase sem oxigênio.
Vários zoológicos do mundo têm participado de programas de conservação e também algumas associações de aquarismo têm se esmerado na reprodução de algumas espécies ameaçadas e algumas até extintas na natureza




Vitorians do zoo de Columbus
As espécies menos ameaçadas são as que encontramos a venda nas lojas de aquarismo.
Assim como os Ciclídeos do Malawi, eles preencheram todos os nichos alimentares do lago, alguns se alimentam de caracóis, outros são predadores de filhotes e outros plâncton.
E alguns são predadores como o Caçador de Matumbi ,Lipochromis sp.
Em aquário
O lado ruim da comercialização de Ciclídeos do Vitória e que algumas espécies ainda não foram descritas e são vendidas apenas com nomes comerciais e isso causa muita confusão e da margem a venda de híbridos, assim como ocorre com alguns Ciclídeos do Malawi no Brasil.
Em aquário aceitam bem ração floculada complementada com alimentos vivos, sempre observando que alguns são assim como os mbunas herbívoros,respeitando o habito alimentar de cada um..
E raro a espécie que ultrapasse 15 cms sendo em media entre 8 e 10 cms ,porem são tão agressivos quanto os Malawians.
Podemos manter o pH sempre acima de 7.8 sendo o ideal 8.2 com ligeiras flutuações,o pH para eles não precisa ser tão rígido para eles como os Tanganikans devido a sensibilidade dos mesmo a variação dos parâmetros, os Ciclídeos do Vitória são bem rústicos .
O ideal é que os aquários sejam mono espécie, devido a dificuldade de se distinguir as fêmeas,e também pela agressividade dos machos.
O aquário pode ser idêntico ao que usamos para Mbunas,provido de rochas e um bom espaço, em um aquário de 200 litros abrigamos até 6 animais pequenos , sendo apenas 1 macho por colônia.
Assim como os Malawians são incubadores bucais e a reprodução segue o mesmo padrão.
O aquarista médio não terá dificuldade em reproduzir a maioria dessas espécies .
Infelizmente ainda não temos uma variedade dessas espécies em nosso país , fica ai a sugestão aos importadores .
Bibliografia
Seehausen, O. (1996) - Lake Victoria Rock Cichlids: Taxonomy, Ecology and Distribution. Verduijn Cichlids, Zevenhuizen (ISBN 90-800181-6-3).
James, N. (2002) - Lake Victoria Cichlids - Practical Fishkeeping series. Ringpress Publishing. (ISBN 1-86054-276-X). (Available from the PFK website).

ezstyle 2012

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reproduzindo Aulonocaras

Qual o Tamanho ideal do aquário?

O ciclo do Nitrogênio