Cuidados biparentais entre CA's




Uma das características dos Ciclídeos é o cuidado com sua prole, esse comportamento pode ser apenas da fêmea ou de ambos os pais(biparental).

Em colônias de Ciclídeos podemos encontrar uma estrutura muito organizada, tomaremos como exemplo o Neolamprologus brichardi, uma espécie comum e prolífica do lago Tanganika, a qual em algumas regiões podem ser encontrados mais de 5.000 exemplares coabitando junto às rochas.

Eles têm o comportamento de reprodução cooperativa, mesmo assim pais defendem sua prole de forma menos agressiva e outros colocam a própria segurança em risco para defender suas proles de predadores.

Segundo o Dr. Sigal Balshine, professor assistente do departamento de psicologia da Universidade McMaster, estes peixes vivem nos grupos compostos de dois peixes produzindo (macho e fêmea) e de até 14 ajudantes. Em alguns grupos, os pais trabalham duramente, com cuidado tendendo os ovos, limpando seus territórios, e ferozmente defendendo seus jovens. Em outros grupos, os pais fazem pouco, permitindo que os "ajudantes" façam a parte da segurança defendendo o território dos predadores.

Balshine e seus estudantes estão examinando os genes, os hormônios, os cérebros e os arredores ambientais destes peixes para tentar compreender como os níveis diferentes do cuidado parental evoluem.

Diz Balshine: "Na espécie que nós estamos estudando, as mães tem trabalho tipicamente mais duros para defender sua prole,". Os ajudantes e os pais importam-se também com os jovens, mas a pouca extensão. Balshine e seus estudantes descobriram que as mães (fêmeas) têm realmente os níveis os mais elevados do testosterona, conhecido geralmente como um hormônio "masculino".

Desova:


Depois que com cuidado escolhendo uma rocha protegida e arranjando a areia embaixo para fazer uma cama de desova segura, as mães colocam tipicamente entre 20 e 50 ovos. Após três dias de abanar ovos com suas nadadeiras e de girar os ovos com suas bocas, os peixes novos chocarão.

E os peixes recém nascidos são particularmente vulneráveis. Inicialmente filhotes não sabem como se esconder dos predadores, quando nadar, ou quando permanecer. São completamente dependentes de seus pais para a proteção. Dentro de uma semana, os jovens são dizimados por predadores. Geralmente somente um a quatro filhotes sobrevivem a primeira semana da vida. Diz Balshine, "as mães fazem a linha de frente, e correm riscos grandes para proteger seus filhotes."

Ezstyle 2008

Referências: primeira linha de defesa para a prole : Dr. Sigal Balshine

Tanganika Cichlids – Cichlids Press

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Qual o Tamanho ideal do aquário?

Reproduzindo Aulonocaras

Escolhendo a fauna(Mbunas): Coloração das espécies!