Qual o Tamanho ideal do aquário?

Qual o Tamanho ideal do aquário?
?
Qual aquário serve para meu peixe?


Estimar o tamanho do aquário que precisamos para um peixe em particular que queremos comprar é sempre um trabalho sofrido. Algumas regras aplicadas são difíceis de interpretar e usar. A mais conhecida é a de “um litro de água por centímetro de peixe” regra que, em nossa opinião, é inútil – ela é aplicada a um limitado número de pequenas espécies e aquários que nós consideraremos como não aplicável (ou não recomendável) para a maioria dos casos. A indicação que mostra a impraticabilidade desta regra é “Vinte tetras-neon, cada um medindo 1,5cm podem viver em um aquário de 20 litros, mas um peixe de 30cm não poderá”. Além disso, essa regra não leva em conta nada mais do que o tamanho do peixe o que é apenas um dos fatores que devem ser examinados quando se planeja ter um peixe em particular. Nós mesmos duvidamos se esse é o fator mais importante a considerar. Tentaremos achar outras formas de fazer cálculos que dêem resultados significativos.

Outra regra utiliza a relação da superfície da água Vs tamanho do peixe. Embora isto possa funcionar – com alguma extensão - para lagos e espécies de águas temperadas, ela não pode efetivamente ser usada para espécies tropicais. Essa regra sugere três pés quadrados de superfície de água por pé de comprimento do peixe. É facilmente entendido que peixes maiores de 1 pé pode ter um comportamento diferente no aquário que peixes pequenos, e ainda, diferentes necessidades.

A regra baseada em litros de água por gramas de peso de peixe pode ser considerada de longe a mais útil, especialmente quando aplicadas a peixes grandes (mais de 20cm na fase adulta). Entretanto, neste caso o problema é a impossibilidade de pesar o peixe ou ter informações sobre quanto ele pesará quando atingir a fase adulta. Uma estimativa, à grosso modo, é 500g de massa do peixe por 30cm de comprimento. Isto é muito aproximado com muitas exceções que a fazem praticamente inútil. Por exemplo, um peixe esguio tem menos massa que um peixe largo e comprido.

Um aspecto importante dessa discussão é que nós devemos sempre pensar em termos do tamanho do peixe adulto mesmo se os que temos em nossos aquários agora são juvenis (a menos que nós tenhamos absoluta certeza que os peixes nunca atinjam a idade adulta). Conseqüentemente, a regra deve confiar no que “vemos” (dimensões físicas do peixe adulto em si) e o que sabemos sobre essa espécie em particular (predador de tocaia, predador de águas abertas, nadador constante, peixe de fundo, agressivo, territorial, etc.). É claro, mesmo essa regra tem suas exceções, às vezes ela leva a aquários realmente grandes, onde o peixe pode fazê-lo em pequenas porções.
Não obstante, isto o levará a uma “ordem de magnitude” que você tem em mente antes de comprá-lo. Além disso, em alguns casos, o senso comum ditará a “ajuste manual”.  Por exemplo, é evidente que arraias de água doce gostam mais de superfície do que altura, então, faz-se necessário um ajuste.

Veremos como a “fórmula” funcionaria se pegarmos alguns parâmetros e tentarmos implementá-los em situações atuais. O tamanho do aquário é muito importante, não
somente em relação a qual peixe (e quantos) podem ser acomodados, mas também para o projeto de um sistema de filtração eficiente.

Comprimento do aquário.

Este é talvez o fator crucial em um aquário, desde que essa é a dimensão que deixará os peixes o mais afastados possível e dará a eles o espaço para nadar e esticar seus músculos – especialmente para predadores de águas abertas. Em nossa opinião, o aquário deveria ter no mínimo 5x o comprimento do peixe adulto (fish length – FL) sendo o mínimo aceitável 20cm do comprimento do peixe. Além disso, 20-50% de comprimento extra deverá ser adicionado se o peixe é um predador de águas abertas (+30%) ou extremamente agressivo (+20%) ou os dois (+50%); fatores de 1.3, 1.2 e 1.5 respectivamente. Se o peixe é um nadador lento então nós podemos manter apenas 5x sem qualquer comprimento adicional apesar do fator de agressividade (0% comprimento adicional; fator 1).

Nós devemos enfatizar a necessidade de informações sobre as espécies que você deseja manter antes de comprar ou construir um aquário, e antes de comprar o peixe. Por um lado, você deve adicionar 10-20% a mais no fator L (fator 1.1 – 1.2) se você deseja manter mais de um peixe da mesma espécie, enquanto que algumas vezes um segundo espécime do mesmo sexo não pode ser colocado no aquário não importando o tamanho do mesmo. É importante lembrar que, diferente dos mamíferos, peixes tem crescimento indeterminado - não há tamanho máximo; o crescimento do peixe diminui eventualmente, mas ele continuará a crescer enquanto viver  e ter alimentação adequada. Então, um “tamanho máximo” publicado para uma espécie de peixe pode ser rotineiramente excedida, quando em cativeiro, e isto também deverá ser levado em conta no tamanho do aquário. Por outro lado, para peixes relativamente pacíficos mantidos em um aquário comunitário pode-se reduzir o fator de 5x para 4x – mas tenha absoluta certeza que os peixes não se tornarão agressivos durante o acasalamento ou qualquer outra fase de sua vida. Não deixamos de mencionar que predadores de rapina, mantidos com suas presas naturais no mesmo aquário será inviável, não interessando o volume do aquário. Como foi dito no início o senso comum é sempre necessário.
Dessa forma (para somente um espécime), onde L= comprimento do aquário (tank legth) e FL = comprimento máximo do peixe (fish length):
Peixe pacífico, habitantes pacíficos: L = FL x 4
Peixe agressivo, bons nadadores: L = FL x 5 x 1.2
Peixe agressivo, nadadores lentos, predadores de rapina: L =  FL x 5
Peixe agressivo, predadores de águas abertas: L = FL x 5 x 1.5
Temperamento intermediário, predadores de águas abertas: L = FL x 5 x 1.3
Casal de peixes agressivos, predadores de águas abertas: L = FL x 5 x 1.5 x 1.2

Largura do aquário:

Nós também acreditamos que o aquário deve ter no mínimo 1.2x o tamanho do peixe adulto de largura. Com peixes que tem a largura do corpo com mais de 5cm, o fator deve se tornar 1.3x o comprimento do peixe adulto enquanto que para peixes com largura maior de 10cm o fator deve ser 1.4x. Para cada 10cm adicional em largura, você deve aumentar o fator em 0.1.
Assim, um peixe-gato, com uma largura de mais de 30cm, deve ter um fator de 1.6x (visto que o adulto tem um comprimento de 120cm, ficando com uma largura de 192cm). Os valores obtidos levam em conta o volume ocupado pelo aquascaping.
Dessa forma (para um único espécime), onde W= largura do aquário (tank width) e FL = comprimento máximo do peixe (fish length):
Largura do peixe <5cm: W = FL x 1.2
5cm < largura do peixe < 10cm: W = FL x 1.3
Largura do peixe = 40cm: W = FL x 1.7


Altura do aquário.

Para a altura, recomendamos o mínimo de 20cm e depois você deve adicionar 2.5x a altura do peixe (FH = fish height) para peixes com uma altura menor que 5cm e 3.5x a altura do peixe para maiores de 5cm. Para peixes de fundo você pode usar o fator de 2x a altura.
Dessa forma (para somente um espécime):
Altura do peixe < 5cm: H = 20cm + (FH x 2.5)
Altura do peixe > 5cm: H = 20 + (FH x 3.5)
Altura do peixe < 5cm; peixes-gato ou arraias: H = 20cm + (FH x 2)
Altura do peixe > 5cm; peixes-gato ou arraias: H = 20 + (FH x 2)
Assim, para peixes com mais de 20-25cm de comprimento quando adultos o tamanho aquário deve ser calculado pela fórmula L x W x H como previamente descrito.
Como você pode ver, para um macho do neotropical Parachromis dovii (6.8kg; 70cm de comprimento quando adulto) o comprimento deve ser, no mínimo 525cm (comprimento do peixe 70cm x 5 x 1.5 visto que ele é agressivo e um bom nadador), a largura deve ser no mínimo 98cm e a altura deve ser no mínimo 90cm.
L= 70 x 5 x 1.5 = 525 cm
W= 98 cm
H= 90 cm
Resultado = aquário de 4,630 litros.
Casal = aquário de 5,093 litros.
Mais fêmeas ou machos não são recomendados para essa espécie. (Ad Konings, em seu livro Enjoying Cichlids aumenta o parâmetro L para 700cm.)
Para um macho de Parachromis managuensis (1.5kg; 50cm de comprimento), que é igualmente agressivo, mas não um bom nadador, a fórmula fornece:
L= 50 x 5 = 250 cm 
W= 60 cm
H= 60 cm
Resultado = 900 litros
Para um casal você deve adicionar 10% que resulta em 990 litros.
Mais fêmeas ou machos não são recomendados para essa espécie.
Para um Astronotus ocellatus (45.7cm de comprimento; peso máximo 1.58Kg), que é agressivo, mas não um predador de águas abertas, nós usaremos +10% para o comprimento:
L = 45.7 x 5 x 1.1 = 251 cm
W = 64 cm
H = 90 cm
Resultado = 1445 litros
Casal = 1730 litros
Terceiro indivíduo = 2000 litros
Quarto indivíduo = 2300 litros
Para um macho do ciclídeo Malawi Buccochromis lepturus (40cm quando adulto) os cálculos são:
L = 40 x 5 x 1.3 = 260 cm
W = 48 cm
H = 45 cm
Resultado = 561 litros
Segundo indivíduo = 670 litros
Terceiro indivíduo = 804 litros
Se mais de uma espécie serão mantidas juntas então os cálculos deverão ser feitos separadamente para cada espécie e depois escolher o maior volume como o correto, subentendendo-se que as espécies são compatíveis. O que você terá, claro, é o aquário certo para as espécies que necessitam de um volume maior. Depois adicione 5-10% de volume de água para cada indivíduo adicional.

Nós já mencionamos a necessidade um “ajuste manual” das fórmulas acima no caso de espécies com uma necessidade específica, diferente ou única quando mantido em cativeiro. Um bom exemplo disto é o peixe-elefante Gnathonemus petersii. Quando procura-se na literatura encontrará que esta espécie atinge um comprimento de 35cm e pode ser colocada um aquários com comprimento aproximado de 80cm. Este tipo de aquário usualmente tem capacidade de 75-80 litros. Entretanto, esta espécie e um peixe de cardumes (schooling fish) e é encontrado em enormes lagos na natureza. Manter menos de 6 indivíduos em um aquário provavelmente resultará no aumento da agressão intraespecífica e do comportamento territorial. Mantendo 6 ou mais deles dispersará esse comportamento entre eles e então teremos poucas brigas em nosso aquário. Mantendo 6 desses peixes em um aquário de 80 litros está definitivamente fora de questão. O peixe é carnívoro e 6 deles trarão uma tremenda carga biológica que desafiará qualquer sistema de filtração.

Se usássemos a metodologia explicada neste artigo teríamos a seguir:

35cm x  4 (*) = 140cm de comprimento do aquário (* consideraremos a espécie como pacífica, particularmente de temperamento mediano).
De acordo com a largura do peixe nós devemos conceder ao espécime um aquário de 35cm x 1.2 = 42cm de largura.
Sabendo-se que a altura do aquário é importante, nossos cálculos mostram que H = 20 + (10cm x 3.5) = 55cm. Então necessitaremos de um aquário de 323 litros para acomodar um único indivíduo.
Adicionando-se mais 5 peixes deveremos adicionar 20% por peixe que perfaz um total de 650 litros para 6 indivíduos. Isto é definitivamente muito distante daqueles 80 litros que achávamos suficiente. Se levarmos em conta que a espécie vive em águas profundas e na sombra de plantas flutuantes então deveríamos adicionar 50% a mais na altura para vir de encontro às necessidades específicas dessa espécie. Isto aumentará o volume total de água para 1300 litros. Acredite se quiser, este é o tipo correto de aquário para 6 Gnathonemus petersii adultos. Combinado com esconderijos, iluminação suave, etc., estes peixes prosperarão em um aquário desses. Isto é o que um “hobista” escolheria para esse peixe.

Em nossas mentes, há algumas classificações no hobby começando com “o dono de aquário”, “o aquarista”, “o aquarista devotado”, “o guardião dos peixes”, “o reprodutor de peixes” e finalizando com “o  aquarista”. Diferenças no palavreado podem significar pouco, mas o primeiro faria um aquário de 80 litros enquanto que o último consideraria no mínimo um aquário de 1500 litros para os mesmos 6 peixes.
As diferenças podem não ser óbvias entre um dono de aquário e um aquarista de peixes, mas há uma – a fundamental; o dono de aquário somente quer um aquário bonito para ele ou para sua sala de estar para entretê-lo ou seus amigos. Algo como um móvel caro, que criará uma parede legal. Neste caso, as espécies mantidas são somente variedades de peixes coloridos, não interessando como vivem em seu biótopo natural. Por outro lado, o aquarista de peixes fará muita pesquisa e tentará manter seus espécimes sobre ótimas condições, tentará reproduzir-los, alimenta-los adequadamente, etc. Reprodutores algumas vezes farão um (ou muitos) compromissos, por causa das exigências negócio, então nós os colocamos um degrau abaixo na escala mencionada.
Então, alguns fatores cruciais para avaliar o tamanho do aquário que manterão as espécies prosperando em cativeiro por muitos anos são o profundo conhecimento do seu ambiente natural, suas necessidades alimentares, seus comportamentos particulares e algumas de suas características especiais dessa espécie – se alguma.
Algumas das questões que DEVEM ser respondidas antes da escolha de alguma espécie (e definitivamente antes de comprar/ construir qualquer aquário) incluem:
-         A espécie é de hábito diurno ou noturno?
-         É uma espécie de cardume ou vivem solitárias?
-         Ela forma casais, grupos de procriação, ou é uma colônia de procriação?
-         Qual é o substrato indicado para a desova da espécie?
-         Qual é a presa natural e como a espécie caça?
-         É um animal que fica entocado ou nada em águas abertas?...
Nós poderíamos adicionar centenas de perguntas, mas estas já estão suficientes – para um começo.
É claro, os cálculos apresentados nesse artigo resultam em volumes ideais para qualquer tipo de peixe. Com alguns truques e aquascapings inteligentes (tocas, separadores de territórios) somos capazes de mantê-los em lugares menores, mas temos que ter em mente que estes valores representam suas necessidades atuais. Então, um Buccochromis lepturus necessita daquele aquário de 260cm de comprimento e precisa dele realmente. Temos certeza que você ouvirá de aquaristas que mantém seus peixes em aquários menores e acreditam que estes estão prosperando. Você pode ter certeza, eles não estão – eles apenas não podem dizer isso!! Nós não queremos nos referir ao peixe-gato (Phractocephalus hemiliopterus; 130cm quando adulto, > 40kg) ou peixes com tamanho similar que são mantidos em aquários de 500 litros – ou menores – enquanto seus donos acreditam que o peixe não crescerá neste aquário. Com um simples cálculo, este peixe necessitará de um aquário com mais de 10000 litros e isto é somente para um peixe. Admitimos que o peixe ficará feliz em um aquário de 4000-5000 litros, mas não há chance de sucesso em qualquer coisa menor que isso. Uma vez nós vimos um casal adulto nadando em um aquário de 4800 litros e este era o mínimo aceitável para eles. Nós simplesmente achamos um crime manter um gigante em um aquário de 500 litros e não achamos que o dono pode ser considerado uma aquarista.
Entretanto, parte da culpa é dos donos das petshops que ainda continuam a vender esses peixes mesmo sabendo que nunca serão mantidos como deveriam. A diferença aqui é que os donos das petshops estão preocupados com você e seu dinheiro, o aquarista, está preocupado com o bem estar do peixe. É um senso comum que se ninguém comprar este tipo de peixe (exceto raros aquaristas que tem o espaço necessário), os donos das petshops não os importarão mais e, mais cedo ou mais tarde, os peixes nadarão livremente no Amazonas – ou ao menos em aquários adequados.
Sentimos que nossa aproximação, á grosso modo, dará uma estimativa para peixes de água doce. Naturalmente, estas fórmulas poderão ser refinadas e especializadas; entretanto, isto finalmente resultará em uma fórmula para cada espécie particular e tornará mais difícil de usar. Então, nós as deixaremos assim e esperamos que o senso comum permitirá que oaquarista faça os ajustes necessários.

Tradução: Rodrigo CL - 2007
George J. Reclos Ph.D., Andreas Iliopoulos and Michael K. Oliver Ph.D. 2005

Copyright © 2003-2011C.M.C.A
Todos os direitos reservados.
Todas as ilustrações e textos desta página são propriedade de seus respectivos autores

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reproduzindo Aulonocaras

O ciclo do Nitrogênio