quarta-feira, janeiro 24, 2007

Iluminando seu Aquario

Então você finalmente decidiu montar seu próprio aquário de ciclídeos africanos. Já tem tudo em mente: a filtragem, o substrato, a decoração e até mesmo os peixes!
Aí, surge uma dúvida em relação a um equipamento que tratamos com certa relevância nessa montagem: a iluminação.
Basicamente, a iluminação de um aquário tem algumas funções básicas:
- Fornecer luz de maneira dosada a um aquário, já que não podemos utilizar a luz solar para esse fim, devido a sua intensidade.
- Realçar a coloração dos peixes e fornecer a quantidade adequada de luz relativa às exigências particulares da espécie
- Conferir ao aquário uma beleza que realce a criatividade e o paisagismo contido nele
- Favorecer o crescimento controlado de organismos úteis ao equilíbrio biológico do aquário
- Fornecer às plantas raios luminosos necessários a sua nutrição ligada ao processo fotossintético
Como vamos nos deter na montagem dos Ciclídeos Africanos, podemos
praticamente descartar a última função, visto que plantas naturais raramente são utilizadas nessas montagens. Quando utilizadas, carecem ser plantas que resistam o ataque dos ciclídeos em geral, que costumam devorá-las ou arrancá-las do substrato, e que sobrevivam as condições químicas necessárias a manutenção dos Ciclídeos Africanos, como o pH extremamente alcalino e a dureza excessiva. Mesmo lançando-se mão de plantas que possuam tais características, ainda assim elas não atingiram seu máximo desenvolvimento.
Quanto as exigências da espécie, devemos ter em mente que alguns ciclídeos africanos (Ex: Frontosa) tem seu habitat localizado a centenas de metros de profundidade. A essa profundidade, a incidência luminosa é mínima, motivo pelo qual os peixes originários dessas profundidades apresentam um colorido inigualável, necessário para detectarem seus semelhantes na ausência de luz. Dessa forma, podemos afirmar que uma iluminação excessiva pode ser danosa aos peixes. Este é um dos motivos da existência de tocas na montagem dos Ciclídeos Africanos, necessárias aos peixes para se refugiarem da luz.
No seu habitat natural, os Ciclídeos Africanos contam com a presença de
inúmeras algas que, devido a sua abundância, passaram a desempenhar um papel fundamental na dieta de muitos ciclídeos. Uma iluminação adequada favorece o crescimento dessas algas que, além de complementar a alimentação dos peixes, favorece o equilíbrio biológico do aquário e a composição de um ambiente mais próximo ao natural.
Por fim, um dos papéis mais importantes da iluminação dessa montagem é o aspecto plástico. É ela quem irá fornecer a “pincelada final” de sua montagem, realçando o colorido dos peixes e contrastando as formações rochosas contidas no tanque. Entre as alternativas de iluminação, encontramos inúmeras. Um dos fatores determinantes é o custo que se deseja investir e o espaço útil para a instalação de lâmpadas.
Ao contrário de aquários plantados, onde a iluminação é um dos equipamentos em que ocorre o maior investimento, na montagem de ciclídeos africanos o aquarista procura investir em outros equipamentos de maior necessidade, como na filtragem.
Seguem abaixo algumas opções de lâmpadas utilizadas em aquários:

- Lâmpadas próprias para aquários (Aqua-glo, Gro-lux, Aquarilux, Flora-Glo)
São lâmpadas desenvolvidas especialmente para aquários, ou seja, possuem um espectro luminoso ideal para fotossíntese das plantas e realçam a cor dos peixes. Nos aquários de ciclídeos, sem plantas, favorecem um crescimento adequado de algas verdes e filamentosas e conferem aos peixes a capacidade de mostrar todo o seu colorido. Atente para o detalhe de que algumas emitem uma luz de tom “rosado”, sendo esta cor não muito apreciada por alguns aquaristas. Tem como fator negativo o preço, mais elevado do que fluorescentes comuns.

- Lâmpadas fluorescentes comuns (Luz-do-Dia)
São as conhecidas fluorescentes comuns. Podem ser encontradas, além do formato em tudo, em formato compacto permitindo sua instalação em aquários estreitos ou carentes de espaço para iluminação. Não são ideais para aquários plantados, ainda que seja possível conseguir resultados satisfatórios com essas lâmpadas. Utilizo essas lâmpadas no meu aquário de ciclídeos sem maiores problemas. As algas crescem moderadamente, ainda que os peixes não tenham suas cores tão realçadas como com a utilização de lâmpadas próprias para isso.
Seu ponto forte é o preço, bem acessível, constituindo uma maneira barata e eficaz de iluminar o aquário.

- Lâmpadas actínicas
São as famosas “lâmpadas azuis”. São utilizadas em aquários marinhos, próprias para invertebrados. Como aspecto positivo, realçam bastante a coloração dos peixes. Alguns aquaristas citam que as verdadeiras cores do ciclídeos africanos são reveladas com a utilização dessas lâmpadas. Não surtem muita diferença em relação ao crescimento de plantas ou algas. Como o nome já diz, emitem uma luz azul muita apreciada por alguns, e nem tanto por outros. O aspecto negativo é o preço, proibitivo para muitos. Se você deseja uma iluminação azul para seu aquário, lâmpadas como a Sylvania Azul são uma opção bem mais econômica e que atinge um efeito semelhante.


Fora estes exemplos mais comuns, existem inúmeras alternativas de iluminação e, dependendo do efeito estético desejado e o capital a ser investido, ótimos resultados são conseguidos com a utilização de dois ou mais tipos diferentes de lâmpadas.

Espero que com esta pequena explicação, você tenha ao menos uma idéia de qual alternativa você usará, e espero que você não demore

Bruno Galahrdi - 2003

Melhor se visto em 1024x768

Ezstyle -Bruno Galhardi -2003- 2006

Copyright © 2003-2006 C.M.C.A

Todos os direitos reservados.

Todas as ilustrações e textos desta página são propriedade de seus respectivos autores

Nenhum comentário: